Elimine as velhas crenças sobre investimentos e aprenda a investir seu dinheiro de forma rentável e segura

“Por que a maioria de nós tem tanto medo de fazer investimentos financeiros?”

Já ouvimos muitas histórias de pessoas que perderam muito dinheiro em investimentos, em especial com ações, por isso, não queremos nem ouvir falar no assunto.

Percebo que situações de perda financeira acontecem por desinformação e a ganância de expectativa de ganhos fáceis sem estudar e entender o mercado, 

CHAVE 01 –  CRENÇAS LIMITANTES SOBRE DINHEIRO E INVESTIMENTOS

Antes de começar a aprender a investir, precisamos compreender sobre algumas crenças limitantes sobre investimentos que podem estar em nossa mente, muitas vezes num plano inconsciente.

“Investimento é coisa de gente rica. É preciso muito dinheiro.”

“Prefiro utilizar a caderneta de poupança por ser o investimento mais seguro que existe.”

“Investir é arriscado.”

No vídeo abaixo faço uma explicação sobre o medo de investir e as crenças limitantes, se não estiver visualizando clique aqui

1.1. Quebrando a crença 01: “Investimento é coisa de gente rica. É preciso muito dinheiro.”

É possível investir com pouco dinheiro, um exemplo é a aquisição de títulos da dívida pública, o Tesouro Direto. É possível investir  a partir de 10% de um título, em torno de R$ 80,00, depende da data.

Alguns CDB’s (Certificados de Depósitos Bancários) exigem um valor mínimo de 1 mil reais para começar. Se você não tiver este valor para investir, pode juntar mensalmente valores menores no tesouro direto e transferir para um CDB quando  completar o valor mínimo necessário para adquirí-lo.

1.2. Eliminando a crença 02: “Prefiro utilizar a caderneta de poupança por ser o investimento mais seguro que existe.”

A caderneta de poupança não é o meio mais seguro de guardar seu rico dinheirinho, há outras opções tão seguras quanto ela e mais rentáveis, sem dúvida é o tipo de investimento mais fácil de ser utilizado, mas a rentabilidade é bem menor comparada a outras aplicações financeiras.

1.3. Você já ouviu falar no Fundo Garantidor?

A caderneta de poupança, assim como outros tipos de investimento é segurada pelo FGC – Fundo Garantidor de Crédito – que garante a devolução de no máximo R$ 250.000,00 investidos por CPF/CNPJ por instituição financeira, ou seja, se uma pessoa possui R$ 500.000,00 investidos em um único banco, distribuídos entre CDB, Poupança, LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e esse banco falir, ela só receberá R$ 250.000,00 do Fundo Garantidor.

Ao contrário do que maioria pensa, o FGC não é do governo – é uma entidade privada sem fins lucrativos mantida pelas instituições financeiras associadas e cuja principal função é proteger o dinheiro dos correntistas e investidores.

Exemplo de outros investimentos garantidos pelo FGC: 1. Depósitos à vista ou sacáveis mediante aviso prévio (aquele dinheiro parado na conta corrente); 2. Recibos de depósitos bancários (RDB) e Certificados de depósitos bancários (CDB); 3. Letras de câmbio (LC); 4. Letras imobiliárias (LI); 5. Letras hipotecárias (LH); 6. Letras de crédito imobiliário (LCI); 7. Letras de crédito do agronegócio (LCA); entre outros.

Já os títulos públicos que podem ser adquiridos através do Tesouro Direto não possuem garantia do FGC. Neste caso, a garantia é oferecida pelo Governo Federal. E como você sabe, quem paga as contas e as dívidas do governo é toda a população brasileira através dos impostos. O governo é o dono da casa da moeda e é capaz de produzir dinheiro para pagar suas dívidas através da emissão de moeda.

Sendo assim, os títulos públicos são tão seguros quanto os investimentos segurados pelo Fundo Garantidor.

1.4. Exterminando a crença 03: “Investir é arriscado.”

As garantias de alguns investimentos foram explicadas anteriormente e, como podemos ver, há mecanismos de proteção para seu dinheiro.

Para os investimentos em renda variável, como o exemplo do investimento em ações, não há qualquer garantia. As rentabilidades podem ser muito maiores e os riscos aumentam proporcionalmente, portanto, são indicados para investidores experientes, em que o conhecimento é a garantia.

O problema desse tipo de investimento é a falta de conhecimento e experiência dos investidores. Muitas pessoas seguem palpites e boato,  compram ações sem saber minimamente  como funcionam. Nesses caso, concordo que  é muito provável percam dinheiro.

CHAVE 02 –  O QUE EU QUERO? MEUS SONHOS, MEU PROJETOS

É muito importante definir o que eu quero, o que eu preciso, pois não existe o melhor investimento, existe o investimento mais adequado a você, ao seu projeto, há investimentos com excelentes rentabilidades mas que precisaria ficar por exemplo 3 anos  sem poder sacar, pode ser maravilhoso para quem está investindo para a casa própria, mas péssimo para quem está buscando apenas proteger sua reserva financeira da inflação.

São objetivos diferentes, que exigem investimentos diferentes.

Nesse vídeo explico sobre isso com detalhes, se não abriu o vídeo acesse direto no youtube neste link aqui

CHAVE 03  – ENTENDENDO O BÁSICÃO DO ECONOMÊS PRA COMEÇAR A INVESTIR

IPCA, SELIC E CDI – São siglas que trazem conhecimentos indispensáveis para investir, se você já conhece e entende o que elas significam e como se comportam, abre-se a porta para a próxima chave da abundância.

 

Caso você tenha interesse, escreverei um próximo post falando sobre a parte prática dos investimentos, CDB, LCI, LCA, Tesouro Direto, pra quem já deseja adiantar os estudos sobre o Tesouro Direto recomendo a própria página do Governo Federal.

Grande abraço e até mais

Por Simone Costa

25.09.2017

Deixe aqui seu comentário!